ROBOTIC ENGLISH TRANSLATION



* * * PENSAMENTO DO MÊS * * *


Tudo o que é belo morre no Homem, mas não na Arte.

Leonardo da Vinci


* * * FRASES MUSICAIS AO ACASO * * *


La Musique avant tout.

Paul Verlaine


* * * Para ver correctamente todas as postagens deste BLOG,
é conveniente instalar previamente no seu PC
os tipos de fontes musicais MusiQwik * * *


IR DIRECTO AOS COMENTÁRIOS DESTE POST.

sábado, julho 01, 2006

Amadeus Revisitado



Como chegámos a meio do ano Mozart, lembrei-me de recuperar aqui no "Flauta de Pã" o meu poema musical Amadeus - envolto em novas roupagens - o qual dediquei ao grande génio em Janeiro, e que foi também a minha première na Blogosfera (no Jardim de Aspásia). Viva Mozart!


* * *




Sempre ouvir-te é sempre amar-te,
ó divino, ó talentoso
Wolfgang Amadeus Mozart,
pois da Música na arte,
foste génio portentoso.

Em teus anos de criança,
deslumbravas quem te ouvia;
e toda a aristocracia
nos belos salões de dança,
se curvava e te aplaudia,
perto do Lago Constança.

Aos seis anos já mostravas
juízo de mais idade,
falavas com gravidade;
ao cravo já te sentavas
e teu Minuete tocavas
com talento e habilidade!



As cortes da velha Europa
percorrias sem cessar,
foi tua música ouvida,
incensada e aplaudida,
desde Itália à grande Rússia,
pelo Doge e pelo Czar.

A meio da juventude,
é que eras mais malandrote,
gostavas mais de brincar,
pregar partidas, dançar,
e as donzelas, num virote,
estavas sempre a conquistar…



À Ópera que nos deixaste
deste a alma e a frescura.
“Mágica Flauta” sopraste…
Papageno e Papagena
os cobriste de verdura,
e Pamina com Tamino
levaste ao Céu da ventura.



“Don Juan” se precipitou
nas profundas do Danado,
pois à ceia convidou
− esse desplante ele ousou! −
o rival assassinado…
E, arrogante, blasfemou
do perdão que lhe ofertou,
do Comendador, a estátua
que tanto tinha ultrajado.



Tal qual o barbeiro Fígaro
foste também um “faz-tudo”.
Nas “Bodas”, era um Entrudo,
pois todos se disfarçavam,
se escondiam e aldrabavam…
Mas no final se abraçavam,
pois o Amor vence tudo.



Não deverá ser esquecido
um teu amigo, também,
Lorenzo da Ponte, a quem
a letra dessas histórias
devemos, e que, contigo,
está vivo em nossas memórias.

Lorenzo da Ponte

Sinfonias compuseste,
quase feitas de improviso,
tantas e de tal beleza
e alegria ao ouvido,
que, num dia mais agreste,
são capazes de a tristeza,
nos transformar em sorriso.



E foi tal teu frenesim
a compôr e ensaiar
dias e noites sem fim,
uma obra monumental
que te houvera encomendado
certo enviado do mal
− dizem que foi o Salieri,
mas não há prova de tal −
que as forças que te restavam,
pouco a pouco se esgotavam
nesse Requiem fatal.

Sim, foste o Amado de Deus,
mas os homens do teu tempo
negaram-te chão sagrado,
e à vala foste lançado,
tal qual fosses cão danado,
ou traste sem valimento…
Mas passado tanto tempo,
teu talento ainda dá brado
entre almas de sentimento;
e hoje és génio celebrado,
para sempre recordado,
da Música és monumento…
Wolfgang Amadeus Mozart,
de Euterpe és filho na Arte…
do Mundo és deslumbramento!!!





Sinfonia nº 29 em Lá Maior K201 (Menuetto - Allegro con spirito)

* * *

E algumas das sombras chinesas, de um total de 146, representando as quatro principais óperas de Mozart, recortadas em papel preto pela tesoura de Lotte Reiniger, em 1971.

Etiquetas: , ,

16 Comments:

Anonymous Frei Cecílio said...

Os génios são sempre bem lembrados, e as sombras de passagens das óperas levam a música e a imaginação aos tablados onde viveveram e vivem

1/7/06 4:46 da tarde  
Blogger Daniele said...

Moonlight Sonata é uma das melhores melodias de Mozart.
Parabéns pelo poema...mui belo! ;)

5/7/06 4:35 da manhã  
Blogger Pamina said...

Olá Aspásia,

Ainda não tinha visto o post. Claro que não posso deixar de me associar a esta homenagem que fazes ao meu papá:))).
Fora de brincadeira, gostei muito do teu poema. Conseguiste incluir, com grande "engenho e arte", todos os factos e referências essenciais. Uitstekend gedaan!
Desejo-te um bom fim-de-semana. Beijinhos.

7/7/06 10:34 da tarde  
Blogger viktor said...

Olá,
Excelente. As imagens/resumo das óperas são fantásticas. Todo o enredo num golpe de vista :))
O poema é também deslumbrante: leva-nos a tocar na flauta mágica e a querer um disfarce, não vá o Conde de Almaviva aparecer!!!
Bjs.

7/7/06 11:13 da tarde  
Blogger Aspásia said...

Frei C.

Irmão, da sombra é que nasce a luz...

Bjinhos na fímbria do (bom) hábito...

Daniele

Concordo plenamente! Além do mais as sombras chinesas podem também fazer-se ao luar...

Beijinhos:)

8/7/06 3:12 da manhã  
Blogger Aspásia said...

Pamina e Vik

Grata pelos elogios vindos do vosso abalizado teclado... musical. As sombras vieram do livro "Mozart, Amado dos Deuses" de Michel Parouty.

Espero que não sonhem com o Almaviva, o Monostatos e muito menos a estátua do Comendador...;))

Óptimo fim de semana

Bjinhos x 2:)

8/7/06 3:22 da manhã  
Blogger Aspásia said...

E quem fez esse desenho do Vitinho? Pelo M... foi a progenitora? Está artístico, sim senhor!!

8/7/06 3:25 da manhã  
Blogger Pamina said...

Olá de novo,

Aspásia, não fui eu que fiz o retrato. Quem me dera saber desenhar assim. A assinatura é MJE, uma pintora amiga.
Bom domingo. Um bj.

8/7/06 11:16 da tarde  
Anonymous Ni said...

Que fantástica homenagem a esse génio que nos acompanha e deleita a cada acorde.Obrigada por mais um belo momento e muitos beijinhos.

19/7/06 2:38 da manhã  
Blogger alquimista said...

Quando vi os quadros do nosso Amadeo, em especial aqueles que têm instrumentos musicais, lembrei-me deste.

Acho que estão bem um para o outro

BJ

27/1/07 3:03 da tarde  
Blogger Aspásia said...

AMIGO ALQUIMISTA

REALMENTE... AMBOS FORAM "AMADOS DE DEUS"!

E DEIXE QUE LHE DIGA... SÓ MESMO POR ALQUIMIA É QUE ESTA VELHA CAIXA DE... PÃ-DORA SE PODIA REABRIR PASSADO TANTO TEMPO!!!

:))

27/1/07 11:08 da tarde  
Anonymous maria said...

Fiquei sem palavras... e deixei correr a música.


Abraço

31/1/07 9:08 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Where did you find it? Interesting read »

7/3/07 12:44 da tarde  
Blogger Teresa David said...

Que dizer minha Amiga senão que é mais um dos teus portentosos poemas.
Bjs
TD

26/5/09 10:19 da tarde  
Blogger Estudio Raposa said...

Obrigado, menina, por este excelente tributo!

1/10/10 12:57 da tarde  
Blogger Maria João Brito de Sousa said...

QUE BELEZA! E QUE BEM ILUSTRADO, LEONOR!!! EXCELENTE TRIBUTO A UM DOS MAIORES GÉNIOS MUSICAIS DE TODOS OS TEMPOS!

28/1/13 3:12 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home